Inha reacende o debate sobre alça de acesso ao Rodoanel

Apesar de importante para Ferraz de Vasconcelos e o restante da região o assunto estava meio esquecido, mas o presidente da Câmara Municipal, vereador Flavio Batista de Souza (PTB), o Inha (2º esq) resolveu reativar a discussão sobre a construção de uma alça de acesso da cidade ao Rodoanel Mario Covas (SP-21) na altura da Estrada dos Fernandes, em Suzano. Na verdade, tema veio à baila durante audiência pública para abordar o Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI) da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), na terça-feira, dia 24,  no Legislativo ferrazense, no centro.

Para Inha, a obra anunciada pelo governo estadual desde 2013 ligaria o município a RMSP e a Baixada Santista, no litoral. Com isso, a cidade ganharia uma alternativa viária para escoar a sua produção industrial. Além disso, a prometida alça de acesso também serviria para estimular a vinda de novas fábricas e, ao mesmo tempo, gerar mais empregos e renda fomentando de forma positiva a economia local. Ainda, segundo ele, a falta de dinheiro pode ter contribuído para atrasar a obra, porém, o presidente acredita que o Palácio dos Bandeirantes trata com desdém a classe política local.

“Afinal de contas, tudo na nossa região vai primeiro para Mogi das Cruzes e Suzano, já que são cidades bem representadas por bancada de deputados federais e estaduais. Em compensação, em Ferraz de Vasconcelos, não temos um único defensor nato para brigar por nossos pleitos”, diz Inha. Em resumo, a classe política municipal vive sempre com o pires na mão na hora de reivindicar algum investimento vital para o cotidiano da cidade. Por isso, o presidente pretende formalizar a proposta de construção da alça de acesso ao Rodoanel no PDUI que deve ser concluído em dezembro.

Além de enfatizar a importância da obra para Ferraz de Vasconcelos e o restante do Alto Tietê, Inha também cobrou a retirada do papel do projeto estadual da perimetral interligando Mogi das Cruzes até a Avenida Radial Leste, em Guaianases. Aliás, o trecho mogiano já está em pleno andamento até Suzano. Inha criticou ainda a demora na construção do Corredor Metropolitano Alto Tietê, o sistema viário de 21 km ligará Ferraz até as rodovias Ayrton Senna, em Itaquaquecetuba e a Presidente Dutra, em Arujá. A obra está orçada em R$650 milhões.

                                                         Retrato

O PDUI que beneficiará as 39 cidades da RMSP está sendo elaborado pela Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa), em parceria com o Conselho de Desenvolvimento da RMSP. De 2015 até agora já foram feitas inúmeras audiências públicas para ampliar o conhecimento público sobre o projeto. A meta é colher dados, críticas e propostas a serem inseridas no caderno preliminar da minuta do texto. Depois de finalizado, todas as câmaras municipais vão votar a sua regulamentação no âmbito local.

Por Pedro Ferreira, em 26/10/2017.