You are currently viewing Eliel Fox apresenta projeto que torna academias como serviços essenciais na cidade

Eliel Fox apresenta projeto que torna academias como serviços essenciais na cidade

O vereador de Ferraz de Vasconcelos, Eliel de Souza (PL), o Eliel Fox (foto) quer que academias de musculação, de ginástica, natação, hidroginástica, artes marciais e demais modalidades esportivas sejam classificadas como atividades essenciais e, com isso, evitar o seu enquadramento nas restrições impostas por conta da pandemia. Para tanto, ele elaborou um projeto de lei que institui como atividades básicas os estabelecimentos de prestação de serviços de educação física públicos ou privados.

Para Eliel Fox, essa possível classificação do setor contribuiria para prevenir doenças físicas e mentais nesse período de calamidade sanitária em geral. Afinal de contas, ele está plenamente convencido que a prática de atividade física é uma ferramenta vital para manter a saúde da população em perfeita ordem. “Na realidade, permitir que o cidadão frequente uma academia seria o ideal, sobretudo, nesse momento de isolamento social devido a pandemia da Covid-19”, avalia.

No texto, o autor deixa claro que poderá ser feita a limitação no número de pessoas nas academias, além das medidas de contenção sanitária. A ideia, então seria impedir a propagação do vírus por usuários. Com isso, estaria assegurado o cumprimento de normas sanitárias levando-se em consideração critérios técnicos e científicos. A matéria encontra-se protocolada na Casa e poderá ser lida e depois enviada às comissões competentes na próxima segunda-feira, dia 08, a partir das 9h.

O vereador ressalta ainda que a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que a atividade física regular é fundamental para prevenir e tratar doenças crônicas não transmissíveis, assim como, as cardíacas, diabetes e até de câncer de mama e de útero. De acordo com o órgão, essas enfermidades são responsáveis por 71% de todas as mortes no planeta. Por ano, somente entre pessoas de 30 e 70 anos são mais de 15 mil  óbitos no mundo.

Por Pedro Ferreira, em 03/02/2021.