You are currently viewing Vereador Squizato decide propor a criação de farmácia veterinária popular na cidade

Vereador Squizato decide propor a criação de farmácia veterinária popular na cidade

Militante da causa animal, na cidade, o vereador Claudio Roberto Squizato (PL) resolveu elaborar um projeto de lei que institui no âmbito do município o serviço de farmácia veterinária popular. A proposta visa garantir o fornecimento gratuito de medicamentos veterinários e a realização de procedimentos indispensáveis para assegurar a saúde de animais domésticos de famílias carentes e de instituições que cuidam desse segmento.

Ainda, de acordo com o texto, o serviço gratuito de atendimento veterinário a ser criado pelo Poder Executivo prevê que o futuro espaço físico poderá ser construído em área pública ou privada desde é claro que ser feito com um convênio com o proprietário. Com isso, no local, seriam comercializados produtos veterinários diretamente ao consumidor, ou seja, no varejo e por preços subsidiados pelo governo municipal. Para implantar a medida, o projeto também autoriza o fechamento de acordo com o setor privado.

A matéria define como medicamentos de uso veterinários todos os preparos de fórmula química, farmacêutica, biológica ou mista contendo propriedades definidas e destinadas a prevenir, diagnosticar ou curar doenças de animais ou que possam contribuir para a atenção da higiene dos mesmos. Além disso, o projeto prevê que a farmácia veterinária popular poderá ser gerida em parceria com entidades sociais especializadas no assunto e devidamente cadastradas na cidade.

Pelo projeto de lei, o atendimento gratuito da farmácia veterinária popular municipal oferecerá os equipamentos e procedimentos necessários para o tratamento do animal incluindo os serviços de vacinações, remédios e castrações. A matéria poderá ser protocolada nos próximos dias e, com isso, ser apresentada na próxima sessão ordinária, no dia 10, a partir das 9h. O vereador (foto) disse que está confiante na aprovação do texto pelos colegas em plenário e na posterior sanção pelo Poder Executivo.

Por Pedro Ferreira, em 03/08/2020.