Inha critica o Hospital Regional por deixar respiradores parados há mais de 20 dias

Inha critica o Hospital Regional por deixar respiradores parados há mais de 20 dias

O vereador Flavio Batista de Souza (Podemos), o Inha (foto) criticou o Hospital Regional Dr. Osíris Florindo Coelho, na Vila Corrêa, em Ferraz de Vasconcelos, por não ter ainda colocado para funcionar os dez respiradores enviados pelo governo paulista, após articulação política do deputado estadual Rodrigo Gambale (PSL). Segundo ele, os equipamentos vitais para os pacientes infectados pelo novo coronavírus (Covid-19) encontram-se na unidade há mais de 20 dias, porém, continuam parados.

Para ele, a demora na instalação dos aparelhos não tem o menor cabimento, já que pacientes que evoluem para os casos mais graves da Covid-19 dependem de respiradores para auxiliar na falta de ar, no entanto, vítimas da doença estão sendo transferidas para outras unidades hospitalares na região do Alto Tietê, Guarulhos e na capital paulista. Com isso, aumenta ainda mais os riscos inerentes à própria gravidade da virose tendo em vista serem pacientes portadores de enfermidades pré-existentes.

Em contrapartida, o vereador Inha aproveitou o seu discurso na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 29, para  elogiar o trabalho do prefeito local, José Carlos Fernandes Chacon (Republicanos), o Zé Biruta, no enfrentamento a pandemia do novo coronavírus. Em sua opinião, desde o início do governo, em 2017, a administração da cidade tem sido morosa na maioria das ações, contudo, nesse momento de crise sanitária, o gestor e a sua equipe adotaram medidas ousadas como, por exemplo, a instalação do hospital de campanha, no Jardim Santa Rosa.

“Na verdade, o nosso hospital de campanha, aliás, é muito bom pontuar o mais barato da região está funcionando desde o dia 21 de maio como um verdadeiro suporte tranquilizador e, portanto, se faz pertinente reconhecer o papel do atual governo que pensa nas pessoas acima de tudo. Por isso, dou os meus parabéns a todos os atores envolvidos nessa luta contra a Covid-19”, garante Inha. A unidade provisória dispõe de dez Centros de Terapia Intensiva (CTIs), 20 leitos para pacientes leves e moderados e 50 poltronas para medicação rápida.

                                                  Diferencial

Avaliado, em R$5,3 milhões, por quatro meses podendo ser prorrogado, o hospital de campanha é o único no estado de São Paulo a atender suspeitas da doença na porta das 7h às 22h. Até a última sexta-feira, dia 26, a central temporária beneficiou mais de 2,3 mil pessoas, quase 100 foram internadas e curou 36 contaminados. Em compensação, infelizmente, sete pacientes morreram no local. Na cidade, são 733 casos confirmados, 1.014 descartados, 2.701 notificados, 20 óbitos suspeitos, 74 confirmados e 267 curados.

Por Pedro Ferreira, em 30/06/2020.

Compartilhe nas Redes Sociais:
Fechar Menu