You are currently viewing Eliel Fox acusa agentes da Vigilância Sanitária de imporem o terror contra igrejas evangélicas

Eliel Fox acusa agentes da Vigilância Sanitária de imporem o terror contra igrejas evangélicas

Sem economizar no verbo, o vereador Eliel de Souza (PL), o Eliel Fox (foto) criticou a postura autoritária e, ao mesmo tempo, desmedida de agentes da Vigilância Sanitária contra igrejas evangélicas na cidade na tentativa de evitar o avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A fala dele acusando alguns servidores do referido órgão de estarem praticando um possível abuso de poder nas suas vistorias para verificar supostas aglomerações no interior de templos evangélicos ocorreu na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 1º.

Segundo ele, desde o início da pandemia da Covid-19 nenhum governador, prefeito ou qualquer autoridade sanitária brasileira proibiu o funcionamento de igrejas em geral. Na prática, o que existe, de fato, é uma simples recomendação para que pastores evitem ao máximo reunir o maior número viável de fiéis, ou seja, a presença em massa de cristãos em cultos. Para tanto, os responsáveis estão seguindo rigorosamente o que dizem os protocolos. Em suma, mantendo o distanciamento social, usando máscaras e higienizando as mãos com álcool em gel.

Além disso, preocupadas em preservar a saúde dos seus fiéis as lideranças evangélicas passaram a utilizar as mídias sociais para transmitir de maneira remota os cultos. “Para completar, os pastores nos últimos dias começaram a fazer encontros internos contando com o mínimo de pessoas e, com isso, não ferir nenhuma orientação das autoridades sanitárias”, explica Eliel Fox. Em contrapartida, o pessoal da Vigilância Sanitária costuma agir em tom de terror ameaçando inclusive de multar e fechar igrejas evangélicas. “Trata-se de uma ação inútil desse departamento local”, salienta.

Para ele, para legitimar legalmente o trabalho de agentes da Vigilância Sanitária, o que não é o caso, o agente público, seja ele governador ou prefeito deve ter o mínimo de coragem para baixar um decreto determinando o fechamento de templos religiosos e não ficar permitindo que os seus subordinados em sua maioria arrogante e despreparado continuem impondo o medo a líderes evangélicos por conta da pandemia da Covid-19. “Na verdade, o que estão fazendo é um verdadeiro absurdo contra esse importante segmento da sociedade que só promove o bem das pessoas”, finaliza Eliel Fox.

Por Pedro Ferreira, em 03/06/2020.