You are currently viewing Petista tacha de absurdo mais prazo para responder requerimento sobre poda de árvores

Petista tacha de absurdo mais prazo para responder requerimento sobre poda de árvores

Autor de um requerimento aprovado no início deste mês questionando a Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos sobre a contratação de uma empresa especializada  para fazer os serviços de limpeza urbana, no ano passado, o vereador Claudio Ramos Moreira (PT) considerou um verdadeiro despropósito a administração da cidade pedir mais 30 dias para poder responder o seu documento. O petista deixou claro o descontentamento com o Poder Executivo, na quinta-feira, dia 21.

Para ele, não tem nenhuma justificativa plausível o setor competente da municipalidade não conseguir reunir todos os dados do contrato dentro de 15 dias conforme prevê o Regimento Interno (RI) da Casa e, com isso, encaminhar as respostas   solicitadas. O parlamentar acredita que essa falha é o resultado do descompasso entre o chefe do Poder Executivo e o titular da pasta de Serviços Urbanos, engenheiro Neudir Ferreira da Rocha.  “Na verdade, é muita incompetência”, dispara.

Ele alega que pelo contrato assinado, o governo municipal paga R$31,5 mil mensais pela poda de árvores.  Em 12 meses, o montante atinge R$310 mil. No entanto, para o petista, o que chama bastante a atenção é o fato desse tipo de trabalho não ser notado nas ruas pela população em geral. Na prática, não apenas o vereador do Partido dos Trabalhadores, a maioria do restante do Legislativo garante que desde 2017 a manutenção de plantas quase inexiste na cidade.

No questionamento à espera de uma resposta, Claudio Ramos quer saber quantos procedimentos foram feitos, isto é, o número de poda e de supressão de árvores pela firma terceirizada até a presente data e quem é o responsável no Poder Executivo pela fiscalização do serviço prestado. Além disso, ele cobra informação se o agente designado para acompanhar o trabalho da prestadora de serviço possui conhecimento técnico.

Nele, o petista questiona ainda porque existe tanta demora no atendimento de pedidos de poda de plantas considerados emergenciais, na maioria das vezes, por estar próximas da rede elétrica, já que a empresa contratada começou a suas atividades na cidade, em setembro de 2019. “Em suma, tenho recebido muita reclamação desse assunto nas redes sociais por munícipes que solicitam a poda de árvores a Prefeitura, mas o setor competente apenas autoriza o serviço”, conclui Claudio Ramos.

Por Pedro Ferreira, em 27/05/2020.