Vereador apresenta moção de repúdio à Caixa Econômica Federal por filas intermináveis

Vereador apresenta moção de repúdio à Caixa Econômica Federal por filas intermináveis

A Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos poderá discutir moção de repúdio ao presidente nacional da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, por permitir a aglomeração de pessoas na hora de receber o auxílio emergencial de R$600,00 e de R$1,2 mil. O documento de autoria do vereador Claudio Ramos Moreira (PT) deve ir à pauta na  sessão ordinária antecipada nesta quinta-feira, dia 21, a partir das 8h.

Segundo o petista (foto), o governo federal errou ao concentrar toda a folha de pagamento da ajuda compensatória à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) até agora há mais de 50 milhões de brasileiros somente na Caixa Econômica Federal. Para ele, a União deveria ter feito convênio com a rede bancária e, com isso, autorizar o pagamento na agência em que cidadão tivesse conta.

Em contrapartida, como a CEF é a única fonte pagadora acabou sobrecarregando o atendimento em suas agências espalhadas pelo país afetando assim, sobretudo, os funcionários da própria instituição bancária e, ao mesmo tempo, deixando os correntistas, ou seja, a legião de brasileiros sem renda exposta a contaminação da Covid-19. O auxílio emergencial está sendo quitado em três parcelas mensais.

Aliás, o sindicato da categoria assegura que a presença em massa deste público tem contribuído para deixar vulnerável ao contágio da doença não apenas os usuários como também os seus próprios trabalhadores. “Enfim, essa situação aumenta o estresse de todos”, diz. Cópias da moção de repúdio poderão ser enviadas ao presidente, Jair Bolsonaro (sem partido) e ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

Por Pedro Ferreira, em 19/05/2020.

Compartilhe nas Redes Sociais:
Fechar Menu