Vereadores vão pedir adiamento temporário dos cortes de energia e água de famílias carentes

Vereadores vão pedir adiamento temporário dos cortes de energia e água de famílias carentes

Para tentar minimizar os impactos econômicos da pandemia do coronavírus (Covid-19), sobretudo, nas famílias de baixa renda residentes, em Ferraz de Vasconcelos, os vereadores Clovis Ottoni Sousa (PSC), o Clovis Eletricista (esq) e Agílio Nicolas Ribeiro David (PSB) preparam um ofício para a direção regional da concessionária Bandeirante, em Mogi das Cruzes. No documento, a ser enviado nos próximos dias, eles pedem a suspensão temporária do corte de energia já programado. O pedido igual será feito a Sabesp.

Além disso, os dois parlamentares ferrazenses vão sugerir que a decisão que possui um caráter humanitário seja adotada por um determinado período, ou seja, enquanto perdurar o pico da contaminação comunitária pela coronavírus. Neste caso, segundo as autoridades sanitárias brasileiras, a expectativa é que o surto da doença dure em torno de 60 a 90 dias. O adiamento do corte de energia a ser proposto pelos vereadores também leva conta o fato de o atendimento físico na loja, na Avenida Brasil, 915, no centro, está restrito e somente feito por meio eletrônico.

“Assim, como o morador que tiver a sua energia cortada poderá resolver a sua pendência se a maioria da nossa população não dispõe de acesso à internet”, questionam. Para os vereadores, o momento exige a colaboração de todos e, portanto, a possível medida viria em boa hora para aliviar o bolso de consumidores mais carentes locais. A dupla avalia ainda que por ser um serviço essencial o lucro com fornecimento de energia elétrica pela concessionária bandeirante, que, aliás, atende clientes de 28 cidades paulistas não deverá ser totalmente afetado pela pandemia do coronavírus. “É claro que a crise terá o seu efeito financeiro, mas neste caso em menor grau”, dizem.

O próprio consumo de energia pode ficar estável porque se na indústria e no comércio tende a diminuir, em contrapartida, deve aumentar nas casas devido a aglomeração de pessoas. Por outro lado, justamente, por conta dos impactos negativos na economia brasileira e mundial, a inadimplência nos pagamentos de qualquer fatura tende a aumentar nos próximos meses, tendo em vista, ao agravamento do desemprego, que, no país já supera aos 11 milhões de trabalhadores e, principalmente, ao crescimento de brasileiros que atuam na informalidade como é, por exemplo, a situação típica de moradores locais.

Por isso, os dois vereadores acreditam inclusive que seria, perfeitamente, viável a empresa concessionária Bandeirante pensar ainda em ampliar o número de parcelas a ser pago por clientes carentes inadimplentes ou até mesmo anistiar por completo ou reduzir as alíquotas de juros e multas por atraso no pagamento da fatura de energia elétrica. “Na realidade, essa é uma tendência no setor econômico brasileiro, já que, os próprios bancos já estão oferecendo linha de crédito a juros menores para a sua clientela”, concluem Clovis Eletricista e Nicolas.

Por Pedro Ferreira, em 18/03/2020.

Compartilhe nas Redes Sociais:
Fechar Menu