You are currently viewing Até o início de abril, Janela partidária movimenta os bastidores da política municipal

Até o início de abril, Janela partidária movimenta os bastidores da política municipal

Como a justiça eleitoral permite a chamada “janela partidária”, ou seja, período em que o vereador candidato à reeleição ou para o cargo de prefeito, em outubro deste ano, pode mudar de legenda sem precisar sofrer nenhum tipo de punição, a movimentação política nos bastidores das câmaras municipais em todo o país promete estar bastante agitada.  Na realidade, o troca-troca de partido ocorre de 5 de março a 3 de abril.

Em Ferraz de Vasconcelos, esse alvoroço político não seria diferente no atual cenário. Em todo caso, de concreto até agora, apesar da intensa agitação interna e externa, apenas os vereadores, Ananias Coelho Neto, o Neto Cambiri (foto-acima) e Clovis Ottoni Sousa, o Clovis Eletricista (foto-abaixo) deixaram de sigla. Eles saíram, respectivamente, do Partido Social Liberal (PSL) e Partido Social Democrático (PSD) para reforçar o time do Partido Social Cristão (PSC).  A dupla tentará à reeleição para o seu mandato eletivo. Os dois eram os únicos a fazer parte das fileiras do PSL e PSD.

Já o restante das legendas com assento na Casa, isto é, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), o Partido Democrático Trabalhista (PDT), o Partido Social, o Partido Liberal (PL) e o Partido Socialista Brasileiro (PSB) devem passar por mudanças em seus quadros. A tendência afeta ainda o Cidadania, antigo Partido Popular Socialista (PPS), o Republicanos, ex- Partido Republicano Brasileiro (PRB) e o Solidariedade (SD).

Pelo andar da carruagem, alguns destes partidos políticos inclusive correm o sério de perder toda a sua bancada eleita, em 2016. Por outro lado, na contramão dessa avalanche de transferências partidárias, somente o Partido dos Trabalhadores (PT) deve manter o seu atual quadro formado pelos vereadores Claudio Ramos Moreira e José Aparecido Nascimento, o Aparecido Marabraz. Em geral, essa onda de novas filiações visa fortalecer as agremiações para a disputa proporcional e majoritária que se aproxima.

                                                  Prazos

O dia 4 de abril e a data-limite para que os candidatos estejam com a filiação aprovada pelo partido e, ao mesmo tempo, tenham o domicílio eleitoral na circunscrição (cidade) em que pretendem concorrer ao pleito. Em contrapartida, em julho, as legendas ficam autorizadas a promover as convenções internas para a escolha de seus candidatos a prefeito e a vereador. Os registros devem ser feitos até o dia 15 de agosto. No caso local, cada partido poderá lançar chapa única com 26 candidatos a vereador.

Por Pedro Ferreira, em 13/03/2020.