Vereador põe na berlinda o desempenho de secretário municipal

Vereador põe na berlinda o desempenho de secretário municipal

Por ter uma atuação considerada inexpressiva desde quando assumiu o cargo, em janeiro de 2017, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Agropecuário, Pedro Elias Bou Assi tem sido alvo de inúmeras críticas de vereadores ferrazenses, principalmente, nos últimos meses. Na sessão ordinária antecipada da próxima segunda-feira, dia 4, para quinta-feira, dia 28, o auxiliar direto do prefeito, José Carlos Fernandes Chacon (PRB), o Zé Biruta, o desempenho fraco de Pedro Bou Assi voltou a ser colocado em xeque.

Desta vez, a desaprovação a forma de como ele vem comandando a pasta foi exposta na tribuna do Poder Legislativo pelo vereador Claudio Ramos Moreira (PT). O petista aproveitou o fato de a Câmara Municipal está votando mudança na Frente Municipal de Trabalho, ou seja, reduzindo a idade máxima de 21 para 18 anos para o ingresso de pessoas desempregadas no programa de auxílio para criticar a falta de articulação política do secretário, no tocante, ao não oferecimento de curso de requalificação profissional a bolsistas, conforme prevê a lei.

Para Claudio Ramos, essa falha no programa de auxílio desemprego, na cidade, poderia ser muito bem resolvida se o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Agropecuário, por exemplo, tentasse pelo menos intermediar uma parceria entre a Associação Comercial e Industrial de Ferraz de Vasconcelos (Acifv) e a Secretaria Municipal de Assistência Social, gestora da Frente Municipal de Trabalho. “Na realidade, o secretário Pedro Bou Assi caso queira tem papel importante nesse processo relacionado à capacitação de bolsistas, mas nada faz”, dispara.

Além disso, o referido integrante do primeiro escalão do prefeito, Zé Biruta, foi atacado por Claudio Ramos por não fomentar a geração de empregos no município, em geral e, ao mesmo tempo, por não sanar pendências de empresas instaladas no parque industrial, no Núcleo do Itaim. Segundo ele, boa parte das fábricas enfrenta problemas por não ter a documentação, isto é, a escritura de imóveis doados pelo então gestor, Jorge Abissamra (PSB), o Dr. Jorge. Por isso, de acordo com o petista, alguns empresários ameaçam inclusive fechar a sua firma aumentando assim o desemprego.

A ausência de estrutura logística também contribui para desestimular a permanência de fábricas na cidade, assim como, a existência de ruas esburacadas com frequência como são, por exemplo, os casos da Masato Sakai, Antônio Rúvulo e das Indústrias.  Enfim, a continuar apagado no exercício do cargo, o vereador Claudio Ramos acredita que seria muito melhor Pedro Bou Assi pedir demissão ou ser exonerado o quanto antes pelo chefe do Poder Executivo. Essa mesma tese, também é defendida abertamente  pelo ex-presidente da Casa (foto) vereador Flavio Batista de Souza (PTB), o Inha.

Por Pedro Ferreira, em 01/03/2019.

 

Compartilhe nas Redes Sociais:
Fechar Menu