Nicolas promete intensa fiscalização ao governo Zé Biruta

Nicolas promete intensa fiscalização ao governo Zé Biruta

Em seu primeiro mês de mandato a frente da presidência da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos, o vereador Agílio Nicolas Ribeiro David (PSB) disse que  a Casa pretende fazer uma fiscalização firme ao prefeito da cidade, José Carlos Fernandes Chacon (PRB), o Zé Biruta, nos próximos dois anos. Com isso, ele (foto) acredita que o gestor  deverá deslanchar a sua administração. A avaliação dele do Executivo aconteceu após a eleição especial para eleger os novos membros das 14 comissões permanentes para o biênio 2019/2020, na terça-feira, dia 22.

Para tanto, Nicolas Ribeiro pontua que o chefe do Poder Executivo precisar priorizar três áreas da administração pública, ou seja, os serviços de zeladoria, o fechamento de buracos e melhorias na iluminação pública. Além disso, de acordo com ele, o gestor também deve dar a devida importância para os setores da Educação, Saúde, Segurança Pública e da Cultura, entre outros. Em suma, o prefeito Zé Biruta tem de arregaçar as mangas e, com isso, colher os frutos do saneamento das contas. “O nosso povo quer ver o prefeito andando nas ruas e enfrentando os problemas de cabeça erguida”, diz Nicolas.

Como sinais claros dessa possível alavancada do governo municipal, o presidente destaca o começo do projeto Limpa+Ferraz, na segunda-feira, dia 21, no Jardim Rosana. A ação reúne um verdadeiro mutirão de limpeza de vias públicas, de conservação da iluminação pública, entre outros, serviços básicos. Os trabalhos estão sendo realizados em parceria entre as Secretarias Municipais de Serviços Urbanos e a de Transportes e Mobilidade Urbana. A meta é permanecer durante 15 dias num bairro.

 Em relação à atmosfera política, Nicolas Ribeiro afirmou que não existe oficialmente situação ou oposição declarada ao prefeito, Zé Biruta. Na realidade, o que há de fato é uma cobrança pontual e até mesmo sistemática por parte da Casa. “A Câmara Municipal em nenhum momento vai deixar de cumprir o seu papel de órgão fiscalizador do Poder Executivos nos próximos dois anos. Na prática, somos uma instituição independente, porém harmoniosa com os outros poderes”, conclui.

Por Pedro Ferreira, em 22/01/2019.