You are currently viewing Fabinho critica o fim do Centro de Convivência do Idoso

Fabinho critica o fim do Centro de Convivência do Idoso

Na esteira da polêmica sobre o fim das atividades do Centro de Convivência do Idoso (CCI), em dezembro do ano passado, o vereador Luiz Fabio Alves da Silva (PMDB), o Fabinho (foto) disse que a decisão representa um verdadeiro descaso com o segmento na cidade. Por isso, ele acredita que atual gestão precisa reativar o espaço com urgência e não continuar desrespeitando o pessoal da melhor idade que tanto contribuiu e permanece em sua maioria ainda ajudando no crescimento do País.

Segundo ele, a desativação do CCI que funcionava de maneira improvisada nas dependências do Parque Municipal Dona Assunta, o popular Nosso Recanto, no Jardim Pérola é uma demonstração completa da falta de sensibilidade que infelizmente, impera administração pública local. “Na realidade, o término das atividades da entidade é uma tapa na cara da sociedade ferrazense, já que não custa tanto dinheiro assim para manter o serviço em funcionamento oferecendo ao idoso uma opção de lazer”, diz Fabinho.

Além de significar a oportunidade de praticar tarefas recreativas, o CCI também possibilitava a troca de experiências e, ao mesmo tempo, servia para ocupar a mente do pessoal da melhor idade, ou seja, era uma ferramenta muito importante no combate e depressão e ao sedentarismo. Na atualidade, estima-se a existência de mais de seis mil pessoas acima de 60 anos na cidade, de acordo com o último censo demográfico, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), feito, em 2010.

Em contraste com a triste realidade de idosos residentes no município que não possuem sequer um lugarzinho para se reunir no dia a dia e colocar o seu bate-papo em dia, Fabinho cita como exemplo positivo a capital paulista que procura tratar o segmento com o máximo de respeito e dignidade. “Outras cidades regionais como Mogi das Cruzes e Suzano também disponibilizam espaços exclusivos para as pessoas da feliz idade. Em contrapartida, Ferraz insiste em continuar desprezando-as”, conclui Fabinho.

                                               Preto no branco

Além de defender a volta das atividades do CCI, aliás, o assunto foi objeto de um requerimento dos vereadores petistas José Aparecido Nascimento, o Aparecido Marabraz e Claudio Ramos Moreira, na segunda-feira, dia 22, Fabinho falou ainda sobre a necessidade de o município assegurar na licitação do transporte coletivo que deve ocorrer, em breve, a concessão da gratuidade nos ônibus a pessoas acima de 60 anos como acontece em outras cidades brasileiras. A medida encontra respaldo no Estatuto do Idoso. Hoje, a isenção obrigatória só beneficia os a partir de 65 anos.

Por Pedro Ferreira, em 24/05/2017.