You are currently viewing Ala feminina fica sem representante na nova legislatura

Ala feminina fica sem representante na nova legislatura

vereadora-ana-do-pv-propoe-academias-na-periferiaCom o provimento do recurso impetrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) pelo candidato a vereador Flavio Batista de Souza (PTB), o Inha, a bancada feminina da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos não terá nenhuma representante na próxima legislatura. Como a corte deferiu o nome de Inha, a vereadora até então reeleita (foto) Ana Acilda Alves da Silva (PV), a Ana do PV, com 951 votos perdeu a vaga ficando agora na primeira suplência da coligação que tem ainda o Partido da Reconstrução da Ordem Social (PROS). Em geral, a renovação atingiu a 70%.

Por sua vez, Inha obteve nas urnas 1.072 votos, no entanto, o candidato disputou a eleição municipal, no domingo, dia 02, indeferido com recurso, ou seja, os votos só foram validados a partir do julgamento do TRE-SP nesta segunda-feira, dia 10. Ele respondia por inelegibilidade por ter doado além do limite permitido por lei a então candidata a deputada federal Elaine Abissamra (PSB), a Dra. Elaine, em 2010. A mesma coisa aconteceu com Agílio Nicolas Ribeiro David (PSB). No pleito, ele recebeu 717 votos e tirou a vaga de Mario de Mello Neto (PSB), o Tio Mario, com 647 votos. A audiência dele ocorreu no último dia 29.

Sem a participação da ala feminina, a futura legislatura de 2017 a 2020 será igual à eleita, em 2000, para o exercício de 2001 a 2004. Por outro lado, a composição de 2005 a 2008 contou com a maior bancada de mulheres na história do Poder legislativo. Naquele mandato, a Casa reuniu as vereadoras, Anália de Oliveira Schiavinati, a dona Anália, aliás, a maior detentora de cargos até hoje, com quatro, Valdeti Aparecida Catarino e a Ana do PV. No mandato seguinte, Dona Anália e Rosemeire Cross deram as cartas na instituição.

vereadora-maria-simplicio-pt-abre-mao-de-reeleicaoDo ponto de vista histórico, a primeira vereadora eleita foi à saudosa Brígida Molinari Gouveia, justamente, na primeira legislatura de 1955 a 1958. Entretanto, o Poder Legislativo só voltou a ter uma mulher em sua bancada de 1983 a 1988, com a atual comerciante na cidade Solange Boni. De 1993 a 1996, Maria Selina Neves Ferreira da Cruz marcou o nome.  No atual mandato, Além de Ana do PV, a Casa tem a petista (foto) Maria Simplício Nascimento que abriu mão de tentar a reeleição para o marido eleito José Aparecido Nascimento (PT), o Aparecido Marabraz, com 1.001 votos.  Ele exercerá o terceiro mandato, único no registro da legenda na cidade.

                                               Próxima composição

Agílio Nicolas Ribeiro David (PSB)

Alexandre Barbosa dos Santos (PDT), o Professor Xandão

Ananias Coelho Neto (PSL), o Neto Cambiri

Antonio Marcos Atanázio (PMDB), o Marcos BR

Claudio Moreira Ramos (PT)-(reeleito)

Claudio Roberto Squizato (PSB)

Clovis Ottoni Sousa (PSD), o Clovis Ottoni Eletricista

Eliel de Souza (PR), o Eliel Fox

Flávio Batista de Souza (PTB), o Inha

Hodirlei Martins Pereira (PPS), o Mineiro

José Aparecido Nascimento (PT), o Aparecido Marabraz

José Nelson Ferreira (PRB), o Pastor Nelson (reeleito)

Lairton Dantas Pessoa (PRB), o Primo Ceará

Luiz Fábio Alves da Silva (PMDB), o Fabinho (reeleito)

Marco Antonio Castello (SDD), o Ratinho (reeleito)

Pedro Paulo de Almeida (PR), o Professor Pedro

Renato Ramos de Souza (PPS), o Renatinho Se Ligue.

Por Pedro Ferreira.