You are currently viewing Vereadora faz desabafo da violência contra a mulher

Vereadora faz desabafo da violência contra a mulher

Vereadora Ana do PV reflete à violência contra a mulher“Nada justifica um estupro contra a mulher”. Essa frase sintetiza muito bem o sentimento de indignação e, ao mesmo tempo, o desabafo da vereadora ferrazense (foto) Ana Acilda Alves da Silva (PV), a Ana do PV, ao comentar na tribuna da Câmara Municipal, na segunda-feira, dia 30, o recente caso de estupro coletivo de uma jovem, de 16 anos, no Rio de Janeiro. Segundo ela, essa verdadeira barbárie não representa apenas um crime violento contra a jovem carioca, mas as mulheres de um modo geral. “Toda a sociedade sente-se agredida”, garante.

Para a vereadora, infelizmente, a brutalidade está banalizada no País, ou seja, a sociedade passou a conviver com cenas de violência cotidiana como se fosse uma coisa normal, o que jamais deve acontecer. No Brasil, somente, no ano passado, 47.646 estupros foram registrados, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Porém, como a maior parte não é comunicada, estima-se de 136 mil e 476 mil casos de estupros, em 2015.  A onda de violência brasileira preocupa a Organização das Nações Unidas (ONU).

 Com isso, em média, a cada 11 minutos, uma mulher é estuprada sendo que 70% delas são menores de 13 anos. O mais estarrecedor disso tudo é que a maioria dos casos acontece dentro casa da vítima, isto é, impera a violência doméstica, apesar de avanços da Lei Maria da Penha desde 2006.  Ana do PV criticou ainda a cultura machista reinante no Brasil. Afinal, a mulher vítima de violência sexual acaba sendo constrangida quando procura uma delegacia de polícia. “Ao chegar lá, a autoridade tenta culpar a própria vítima pelo ocorrido, o que é um absurdo”, diz.

Além disso, a vereadora condenou o fato de o homem insistir em continuar achando que a mulher é um simples objeto de desejo. Na opinião dela, a mulher é um ser livre que merece o mais profundo respeito e, portanto, não deve aceitar sendo subjulgada no dia a dia. Em resposta ao crime brutal contra a jovem carioca, o governo brasileiro anunciou a criação de um núcleo especializado dentro da Polícia Federal para investigar casos de violência contra a mulher. A União quer ainda padronizar o atendimento em delegacias.

Por Pedro Ferreira.