You are currently viewing Silas propõe o prolongamento do Fura-fila até Ferraz

Silas propõe o prolongamento do Fura-fila até Ferraz

Vereador Silas Faria (PSD)Em sua volta temporária a vereança, o suplente e ex-secretário municipal do Planejamento de Ferraz de Vasconcelos (foto) Silas Faria de Souza (PSD) apresentou um requerimento verbal a Secretaria de Estado dos Transportes pedindo estudos visando incluir uma possível extensão do Fura-fila da Cidade Tiradentes, na zona leste até o município tornando assim em um grande anel viário metropolitano. A reivindicação ocorreu na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 23.

Segundo ele, o viável prolongamento do Fura-fila até a cidade se juntaria ao Corredor Metropolitano em fase de elaboração do projeto executivo pelo governo estadual. A obra viária medindo 21 km de extensão pretende interligar o município até Arujá e, ao mesmo tempo, possibilitar o acesso as Rodovias Ayrton Senna e Presidente Dutra. “Sem dúvida alguma, o Corredor Metropolitano vai mudar a cara da nossa cidade e não custa nada em sonhar com a continuação do Fura-fila”, diz Silas.

Por já contar com uma estação ferroviária moderna da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) na região central, e com a virtual obra do Corredor Metropolitano, o vereador acredita que vale a pena plantar a semente da provável vinda do Fura-fila até Ferraz de Vasconcelos. Para Silas Faria, os governantes precisam investir mais no transporte de massa, ou seja, no coletivo e deixar de incentivar o individual para melhorar cada vez mais a mobilidade urbana.

No Legislativo, o ex-vereador por dois mandatos (2001 a 2004 e 2008 a 2012), Silas Faria substitui o titular da coligação vitoriosa, em 2012, Antonio Carlos Alves Correia, o Tonho, hoje, no PPS que pediu licença do cargo por motivo de saúde. O afastamento dele por 15 dias é retroativo a 18 do corrente. Com isso, Silas Faria deve ainda participar da próxima sessão ordinária, na segunda-feira, dia 30, a partir das 18h. O parlamentar sente-se emocionado por regressar a Casa.

Por Pedro Ferreira.