You are currently viewing Câmara cobra explicação sobre monitoramento por câmeras

Câmara cobra explicação sobre monitoramento por câmeras

Vereadora Ana do PV requer explicação sobre sistema de vigiância por câmerasO assunto segurança pública voltou a ser discutido pela Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 02. Na ocasião, o plenário aprovou, por unanimidade, um requerimento dos vereadores (foto) Ana Acilda Alves da Silva (PV), a Ana do PV e Antonio Carlos Alves Correia (PPS), o Tonho. Nele, a Casa cobra informações sobre o destino do sistema de monitoramento por câmeras implantado no município, em 2011.

Na prática, os vereadores querem saber onde está instalado e se funciona o sistema de vigilância e quantas câmeras estão, de fato, em operação e os pontos onde foram instaladas. Além disso, os parlamentares questionam qual é o efetivo da Guarda Civil Municipal (GCM) encarregado do acompanhamento do monitoramento, assim como, o da Polícia Militar e o da Polícia Civil por tratar-se de um Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM).

Mantido com recursos da União por meio do Programa Nacional de Segurança Pública Com Cidadania (Pronasci), o GGIM é um importante instrumento para apoiar o setor na cidade. Na época, o Ministério da Justiça repassou para Ferraz de Vasconcelos R$1,2 milhão, justamente, para comprar o sistema de monitoramento, coletes a prova de bala para a GCM e spray de pimenta. Mesmo assim, hoje, a vigilância está quase inoperante na cidade.

Vereador Tonho (PPS) diz que câmeras foram desligadasPara Tonho (foto), o sistema de câmeras de segurança faliu e a cidade mais parece um território sem lei para a alegria da bandidagem. Já Ana do PV acredita que o tema virou uma preocupação geral, principalmente, nos últimos meses e, ao mesmo tempo, exige a união de esforços para, no mínimo, enfrentar o grave problema. Além disso, na opinião de mais seis vereadores, a situação está insustentável e requer uma ação firme das autoridades competentes.

                                                           Pressão

Compartilham desse pensamento os parlamentares, Edson Elias Khouri (PSB), o Edson Cury, Luiz Fábio Alves da Silva (PMDB), o Fabinho, Luiz Tenório de Melo (PR), Claudio Ramos Moreira (PT), Aurélio Costa de Oliveira (PPS), o Aurélio Alegrete e Clenilson Lima Dias (PSDB), o Quequê. No fundo, eles constatam a falência de segurança pública em geral. Por isso, os vereadores defendem inclusive uma audiência na pasta afim para discutir o assunto.

Por Pedro Ferreira.