You are currently viewing Prefeito afastado tem até 2ª feira para apresentar defesa prévia

Prefeito afastado tem até 2ª feira para apresentar defesa prévia

Prefeito afastado de Ferraz, Acir Filló (sem partido)O prazo legal para que o prefeito afastado de Ferraz de Vasconcelos (foto) Acir Filló dos Santos (sem partido), o Acir Filló apresente a sua defesa prévia por escrito, indique provas e arrole até dez testemunhas de defesa perante a Comissão Processante (CP) da Câmara Municipal termina no próximo sábado, dia 23. Porém, como a Casa não tem expediente nesta quinta-feira (feriado) e na sexta-feira (ponto facultativo), a data-limite passa a ser a segunda-feira, dia 25.

Acir Filló está sendo acusado de ter, supostamente, contratado uma empresa de call center para prestar serviço a municipalidade, em 2013. Na época, a transação firmada entre a administração local e a empresa de teleatendimento Tamires Brito de Souza-ME resultou no pagamento de R$672,5 mil, mas, de acordo com a denúncia do vereador, Antonio Carlos Alves Correia (PPS), o Tonho, em 15 de fevereiro do corrente, apesar de quitar esse valor o “Fala Ferraz” não funcionou de verdade.

Após receber a defesa prévia por escrito, a comissão deve emitir um parecer preliminar dentro de cinco dias opinando ou não pelo acatamento da representação. Caso decida pela continuação da apuração, o presidente do grupo investigatório, vereador Luiz Fábio Alves da Silva (PMDB), o Fabinho, inicia de imediato a instrução processual. Em contrapartida, se a comissão optar pelo arquivamento da denúncia, o fato será levado ao plenário do Legislativo. A CP tem até o dia 06 de julho deste ano para concluir os trabalhos.

Esse prazo de 90 dias improrrogáveis passou a ser contado a partir da notificação extrajudicial no último dia 06 do corrente. Por sua vez, na hipótese de a comissão recomendar a cassação do prefeito afastado a o desfecho final caberá aos 17 vereadores em sessão especial. Para perder o mandato de forma definitiva será preciso o voto de 2/3 dos parlamentares, isto é, de, no mínimo, 12. Caso seja cassado, o prefeito afastado ficará inelegível por oito anos. Enquanto isso, o município continua sendo administrado pelo prefeito em exercício, José Izidro Neto (PMDB).

Por Pedro Ferreira.