You are currently viewing Lentidão na troca de lâmpadas penaliza cidadão e Prefeitura

Lentidão na troca de lâmpadas penaliza cidadão e Prefeitura

Assessor da Bandeirante, Marcos Scarpa (centro) tira dúvidas de vereadoresA demora na troca de lâmpadas queimadas pela Coordenadoria Técnica de Iluminação Pública (Ctip) de Ferraz de Vasconcelos pode estar causando um prejuízo duplo para o município, ou seja, pontos da cidade ficam às escuras e a Prefeitura paga ainda o consumo de energia elétrica a Bandeirante. Esse e outros assuntos foram discutidos durante reunião (foto) entre vereadores, o assessor da Diretoria de Distribuição da concessionária, Marcos de Moraes Scarpa, a coordenadora do Procon local, Juliane Gallo e moradores, na terça-feira, dia 12, na Câmara Municipal, no centro.

De acordo com um levantamento extraoficial do vereador e articulador do encontro, Antonio Carlos Alves Correia (PPS), o Tonho, há na cidade, hoje, mais de 600 pontos escuros e, no entanto, o parlamentar nota pouca movimentação do órgão competente do Executivo para, no mínimo, minimizar esse problema que afeta, diretamente, a sensação de segurança do cidadão. Ele cita que com a municipalização do serviço por ordem da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) cabe ao governo local cuidar da iluminação, o que vem sendo feito desde o ano passado.

Em contrapartida, segundo o representante da Bandeirante, caso o poder público não disponha de uma empresa especializada no serviço, o processo de municipalização acaba prejudicando a cidade. A vantagem, para ele, é que a parceria prevê uma compensação financeira para o município e, ao mesmo tempo, ficou mais fácil fazer a aprovação de projetos pela Bandeirante. Marcos Scarpa afirmou ainda que o dinheiro arrecadado com a Contribuição de Iluminação Pública (CIP) pela Prefeitura Municipal visa, exclusivamente, para o pagamento da manutenção, de conta e para investimentos em novos pontos.

Na audiência, a coordenadora do Procon, Juliane Gallo apontou que a principal reclamação de consumidores contra a Bandeirante refere-se ao mal atendimento na loja, no centro. Ainda, segundo ela, o cliente busca informação no local, porém, o atendente não dá a informação correta, o que termina sendo feito pelo pessoal do Procon instalado no Centro de Integração da Cidadania (CIC), no Parque São Francisco. “O consumidor não sabe, por exemplo, o que é a chamada bandeira tarifária que serviu para encarecer o preço da conta”, diz. Os vereadores Walter Marsal Rosa (PTB), o Valtinho do Ipanema e Luiz Tenório de Melo (PR) também participaram da reunião.

                                                  Telefonia

Depois  do representante da Bandeirante para prestar esclarecimento, nesta quinta-feira, dia 14, às 10h, será a vez do consultor da Diretoria de Articulação Regional de São Paulo da Telefonica/Vivo, Antonio Marcos dos Santos, comparecer à Câmara Municipal, no centro. O encontro também foi costurado pelo vereador Tonho. Para o parlamentar, o principal tema da audiência deverá ser a falta de investimento pela Vivo na chamada internet banda larga, tendo em vista, que a empresa comercializa o pacote de produtos, contudo, deixa a desejar no fornecimento.

Por Pedro Ferreira.