Ratinho propõe o reajuste da bolsa auxílio desemprego

Ratinho propõe o reajuste da bolsa auxílio desemprego

Vereador Ratinho (SDD) sugere reajuste de bolsa auxílioPara tentar reduzir o impacto da corrosão da infração, ou seja, recuperar um pouco o poder de compra de funcionários temporários da Frente Municipal de Trabalho de Ferraz de Vasconcelos, o vereador (foto) Marcos Antonio Castello (SDD), o Ratinho, decidiu propor um reajuste da atual bolsa auxílio de R$592,00, porém, não sugeriu nenhum percentual deixando, portanto, a critério da administração da cidade. O pedido em forma de indicação ocorreu na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 22.

No documento, o vereador relata que o valor mensal da bolsa auxílio desemprego paga pela municipalidade aos colaboradores temporários perdura desde 2013 e, neste caso, o correto seria o governo local conceder uma pequena correção o quanto antes. Em contrapartida, Ratinho disse que considera mais do que justa a presente reivindicação de funcionários da Frente Municipal de Trabalho. “Na realidade, não resta nenhuma dúvida da importância diária desses trabalhadores para manter a máquina pública atendendo ao munícipe”, explica.

Também para reforçar a mesma solicitação em prol de servidores da Frente Municipal de Trabalho, o vereador (foto-abaixo) Antonio Carlos Alves Correia (sem partido), apresentou uma sugestão semelhante, na segunda-feira. Na sua indicação, ele ratifica a defasagem no percentual da bolsa auxílio desemprego e, ao mesmo tempo, admite que a possível aplicação de um reajuste serviria para valorizar o poder aquisitivo dos prestadores de serviço. Na prática, Tonho defende que o soldo passe de R$592,00 para R$700,00, o que fica ainda bem inferior ao salário mínimo de R$880,00.

Vereador Tonho (PSD) quer anistia para imóveis residenciaisCom novas regras desde 2013, o Programa Emergencial de Auxílio Desemprego tem capacidade para atender até 400 bolsistas. O benefício tem validade de seis meses, mas, poderá ser prorrogado por uma única vez por igual período. A carga horária é de 8h por dia, sendo quatro dias por semana e mais um dedicado a curso de qualificação ou de alfabetização. Além de receber o pagamento da bolsa auxílio de R$592,00, os funcionários temporários ganham uma cesta básica de R$130,00. Eles têm direito ainda a um seguro por acidente pessoal.

Por Pedro Ferreira.

Compartilhe nas Redes Sociais:
Fechar Menu