You are currently viewing Vereadora critica não retirada de muro no Ferrazense

Vereadora critica não retirada de muro no Ferrazense

Vereadora Palmira Oliveira (PSB) volta a pedir retirada de muro no FerrazenseNa sua última participação como vereadora, na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 05, a suplente empossada  (foto) Palmira Veríssimo de Queiroz Oliveira (PSB), a Palmira Oliveira apresentou um requerimento a Prefeitura Municipal de Ferraz de Vasconcelos cobrando a retirada de um muro. Além disso, a parlamentar quer a continuação da cobertura da canalização do córrego Ribeirão do Itaim, nos fundos da igreja evangélica Assembleia de Deus, Ministério do Belém, na Avenida Zilda Arns, no Jardim Ferrazense.

No documento, Palmeira Oliveira ressalta que tanto a retirada do muro, assim como, da conclusão da cobertura daquele trecho do referido córrego foi solicitada por ela a municipalidade em abril deste ano, no entanto, até a presente data na fora feito para resolver os problemas. A vereadora esclarece que ainda a presença do muro está atrapalhando o acesso de fiéis ao estacionamento da tradicional denominação evangélica na cidade. Por isso, a suplente mesmo não estando no exercício do cargo espera que o seu pedido seja, finalmente, atendido pelo governo municipal.

Além disso, na mesma sessão ordinária, ela teve uma moção de aplauso aprovada, por unanimidade, pelo plenário da Casa em homenagem aos relevantes serviços sociais prestados pelo pastor José Miguel da Silva, pertencente à Assembleia de Deus, Ministério do Belém. Outra moção com a mesma finalidade também reconheceu a importância do trabalho desenvolvido pela diretora da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Rosimeire Coutinho Lima dos Santos. A entidade funciona na Rua das Margaridas, 232, na Vila Santa Margarida, em Ferraz.

Vereador Edson Cury (PSB) sugere ponto de ônibus no Jardim Santa RosaA vereadora questionou ainda por meio de um requerimento o cancelamento do contrato entre a Prefeitura Municipal e a empresa Jade responsável pelo fornecimento de cestas básicas aos servidores locais. Segundo ela, a administração da cidade teria rompido a contratação, porém, não pagou a dívida da ordem de R$1,5 milhão a então prestadora de serviço. Com isso, os funcionários municipais que têm direito a receber o benefício passam por dificuldades. Por sua vez, o titular (foto) Edson Elias Khouri (PSB), o Edson Cury, voltou na terça-feira, dia 06.

Por Pedro Ferreira.