You are currently viewing Autoridades policiais cobram a colaboração da sociedade

Autoridades policiais cobram a colaboração da sociedade

Ladeado por demais autoridades, delegado-titular. Dr. João Bosco enfatiza o apoio da sociedadeAutoridades militares e civis presentes (foto) na 8ª reunião ordinária do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Ferraz de Vasconcelos foram unânimes em afirmar que a população em geral precisa colaborar sempre com o trabalho das polícias, ou seja, comunicar qualquer ação criminosa seja, pessoalmente, ou usando o 190 ou 181 (disque-denúncia). O encontro aberto à comunidade ocorreu nesta quinta-feira, dia 27, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Prefeito Helmuth Hans Hermann Louis Baxmann, no Jardim Ipanema, na região do Parque São Francisco.

Para o delegado-titular do Distrito Policial (DP) central, no Parque Dourado, João Bosco Antunes, a polícia atua pautada no registro de Boletim de Ocorrência (BO) e quando o cidadão não procura a autoridade fica muito mais difícil fazer o mapeamento de crimes. Já o delegado responsável pelo 1º DP, na Vila Santa Margarida, Márcio Cursino dos Santos acrescentou que a polícia investiga o crime e depois remete ao judiciário, mas, seria mais eficiente se, de fato, o cidadão fizer a sua parte. A mesma opinião possui o delegado-assistente do DP central Cleverson Mena.

O comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar, capitão Nei Eduardo de Paula destacou que a falta de comunicação de roubos e de furtos contribui manter as estatísticas oficiais em níveis de primeiro mundo, o que não é verdadeiro. Segundo ele, nos últimos meses foram registradas pouquíssimas ocorrências na região do Parque São Francisco. De um modo geral, são feitas por mês na cidade mais de sete mil abordagens durante o policiamento preventivo. Apenas no bairro trabalham 16 soldados, porém, ele desafia o morador a dizer o nome de um deles, isto é, o munícipe vive distante da PM.

Por sua vez, o comandante da Guarda Civil Municipal (GCM), Cleverson Ramos também acredita no engajamento da sociedade para que as forças políciais possam enfrentar para valer a violência. Apesar da ausência de comprometimento do povo, o dado positivo é que as corporações estão atuando de maneira integrada. O presidente do Conseg, Kleber Leite Siqueira aproveitou a reunião do órgão para cobrar mais uma vez a Prefeitura Municipal a instalação de câmeras de monitoramento. Para ele, o mesmo pedido já vem, sendo feito há mais de quatro meses, no entanto, não obtém êxito.

                                                  Cobrança

Para pressionar o Executivo, o vereador licenciado Luiz Tenório de Melo (PR) promete apresentar uma indicação contendo a assinaturas dos 17 parlamentares exigindo com urgência a colocação de câmeras de vigilância na cidade. Além disso, ele pretende cobrar mais iluminação pública. O colega Walter Marsal Rosa (PROS), o Valtinho do Ipanema pediu a comunidade para ficar mais atenta no dia a dia. O vereador Antonio Carlos Alves Correia (PSD), o Tonho elogiou o Conseg, contudo, criticou a omissão da municipalidade no combate a criminalidade.

Vice-prefeito, Izidro Neto (centro) representa o Executivo em reunião do ConsegEm nome da administração, o secretário municipal de Planejamento, Silas Faria de Souza (1º esq) afirmou que o novo Plano Diretor (PD) em andamento poderá ajudar bastante na questão da segurança pública. O titular das pastas da Administração e da Segurança Pública, Arnaldo Antunes de Souza garantiu que tem procurado motivar a GCM mesmo contando com um efetivo de menos de 60 agentes. O vice-prefeito, José Izidro Neto (PMDB) também pontuou a ação do governo local, no tocante, a segurança pública. Em relação a principal reivindicação do Conseg, o vice afirmou que o governo vai abrir licitação para comprar os equipamentos de vigilância.

Por Pedro Ferreira.