You are currently viewing Secretaria de Saúde estuda terceirizar o Samu

Secretaria de Saúde estuda terceirizar o Samu

Secretário da Saúde, Juracy Ferreira (centro) explicando suspensão de verba para o SamuSem poder fazer concurso para a admissão de médicos porque o limite de gastos com a folha de pagamento da Prefeitura Municipal de Ferraz de Vasconcelos de até 54% está estourado e, com isso, atender a principal exigência do Ministério da Saúde que suspendeu, em julho, o repasse mensal de R$106 mil para o custeio de duas ambulâncias de suporte básico e de uma avançada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a Secretaria da Saúde estuda a contratação de uma Organização Social de Saúde (OSS) para gerenciar o órgão. A informação foi dada pelo titular da pasta e vereador licenciado (centro) Juracy Ferreira da Silva (PMDB) durante audiência pública do 1º quadrimestre deste ano, nesta sexta-feira, dia 14, na Câmara Municipal, no centro.

Em relação a problemas relacionados à estrutura física, assim como, ao setor de comunicação, fardamento e a falta de treinamento, ou seja, de qualificação dos servidores do Samu também objetos de auditoria do Ministério da Saúde, Juracy Ferreira disse que 90% já estariam resolvidos. Em todo caso, o secretário tranquiliza a sociedade local de que a cidade não vai perder o serviço. Na prática, ele acredita na sensibilidade do pessoal de Brasília e, ao mesmo tempo, estima que o impasse seja equacionado dentro de 60 dias, até lá, a administração continua mantendo o funcionamento do serviço com recursos próprios. “O fato é que o convênio não foi rompido e, portanto, só precisamos sanar o fim da suspensão do repasse”, explica Juracy Ferreira. Por ano, o prejuízo seria de mais de R$1,2 milhão.

Para ele, não resta à mínima dúvida de que o grande causador de toda essa situação ainda é o reflexo do escândalo dos dedos de silicone à tona, em março de 2013, quando médicos do Samu fraudavam o controle biométrico de presença e recebia por plantão não trabalhado. “Na época, Ferraz de Vasconcelos foi notícia no mundo inteiro e as autoridades competentes não tiveram outra saída senão apurar a fundo o que estava acontecendo de errado no órgão”,dispara Juracy Ferreira. No tocante, a terceirização do Samu, o secretário acrescentou ainda que a maioria dos municípios já contratou uma OSS para administrar o Samu como, por exemplo, Mogi das Cruzes e Suzano. “Em nosso município não será diferente, já que, não podemos admitir médicos por meio de processo seletivo”, conclui.

Vereador Tonho (PSD) em audiência pública da SaúdeNa audiência pública atrasada feita pela Comissão Permanente de Saúde, Educação, Cultura, Lazer e Turismo (CPSECLT), presidida pelo vereador (foto) Antonio Carlos Alves Correia (PSD), o Tonho, no primeiro quadrimestre de 2015, a Secretaria de Saúde produziu 714.120 ofertas de serviços públicos abrangendo a atenção básica, a média e a alta complexidade. Desse total, 591.748 foram realizados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Em termos financeiros, o governo aplicou R$11,8 milhões, sendo de verba própria R$8,3 milhões, o que equivale ao mínimo constitucional de 15%. Em compensação, nos primeiros quatro meses do ano, o Estado não mandou um centavo para a cidade. De um modo geral, de janeiro a abril, a receita da Prefeitura atingiu a cifra de R$55,9 milhões.

Por Pedro Ferreira.