You are currently viewing Vereador Tonho questiona atraso na elaboração do PME

Vereador Tonho questiona atraso na elaboração do PME

Vereador Tonho (PSD) interpela demora na criação do PMENa iminência de a Prefeitura Municipal de Ferraz de Vasconcelos perder o prazo final para encaminhar o projeto de lei que trata sobre a criação do Plano Municipal de Educação (PME), o vereador (foto) Antonio Carlos Alves Correia (PSD), o Tonho, apresentou um requerimento cobrando esclarecimento sobre o andamento do assunto a administração da cidade na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 15. Ele alerta que a data limite para a promulgação da lei termina no próximo dia 25.

Neste caso, portanto, a municipalidade tem menos de dez dias para enviar o texto ao Poder Legislativo, que, por sua vez, terá que aprovar a matéria dentro desse mesmo período para, com isso, não acabar sendo responsabilizado por eventual atraso na votação pelos órgãos fiscalizadores, entre eles, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE). Aliás, o próprio TCE já recomendou a obediência ao prazo pela Prefeitura Municipal e, na hipótese, de omissão, a corte garante que vai relatar o caso em sua futura fiscalização, o que poderá ensejar em crime de improbidade administrativa.

Com isso, o vereador Tonho que preside a Comissão Permanente de Saúde. Educação, Cultura, Lazer e Turismo (CPSECLT) da Câmara Municipal teme que o município seja inclusive prejudicado por culpa exclusiva do Poder Executivo. A elaboração de um novo PME para os próximos dez anos é uma obrigatoriedade contida na lei federal nº 13.005, de 25 de junho de 2014. “Na verdade, a nossa cidade está perdendo o foco no futuro e a responsabilidade maior recai sobre a Secretaria Municipal da Educação que demonstra ser incompetente para viabilizar o projeto”, diz Tonho.

Também um dos precursores no questionamento sobre a demora na feitura do PME, o vereador Claudio Ramos Moreira (PT) afirmou que o programa possui 20 eixos centrais e a falta desse planejamento no setor poderá contribuir para piorar ainda o ranking de Ferraz de Vasconcelos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) que já é um dos mais fracos no Alto Tietê. Já Luiz Fábio Alves da Silva (PSDB), o Fabinho, concorda com o cumprimento do prazo, porém, destacou que o problema não é exclusivo do município, já que, a maioria das mais de 5,5 mil cidades brasileiras está atrasada em relação ao assunto.

Por Pedro Ferreira.