You are currently viewing Ferraz criará semana de conscientização de doenças raras

Ferraz criará semana de conscientização de doenças raras

Vereador Willians do Gás (PSB) propõe semana de conscientização de doenças rarasFerraz de Vasconcelos deverá instituir no seu calendário oficial a “Semana de Conscientização de Doenças Raras” a ser celebrada, anualmente, na última semana de fevereiro. A medida inédita no município faz parte de um projeto de lei do vereador (foto) Willians Santos (PSB), o Willians do Gás, apresentado na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 23. Agora, o texto do socialista tramita nas comissões competentes e na Procuradoria Jurídica da Câmara Municipal.

De acordo com a matéria, são consideradas como doenças raras, as patologias cuja prevalência em cada 100 mil habitantes corresponda a 65 casos, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Para realizar a campanha de alerta sobre sintomas, diagnósticos e tratamentos, a Prefeitura Municipal poderá fechar parcerias com entidades que cuidam do assunto. Para Willians do Gás, trata-se de uma ação preventiva muito importante de um modo geral.

No momento, calcula-se a existência de mais de 13 milhões de pessoas afetadas por doenças raras, no Brasil, segundo levantamento recente da Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma). O estudo divulgado aponta para a falta de uma política nacional para lidar com esse tipo de enfermidade. O sintomático de tudo isso é que doença atinge uma parcela pequena de população e, por isso, acaba inclusive tendo que recorrer à justiça para obter tratamento e acesso a medicamentos.

Integra a lista de doenças raras a esclerose lateral amiotrófica que degenera os neurônios motores, o hipotireoidismo congênito, a doença de Pompe (mal genético que causa hipertrofia cardíaca na infância), a fibrose cística do pâncreas ou do pulmão e até mesmo a celíaca, ou seja, de intolerância ao glúten. A pesquisa revelou ainda que haja cerca de sete mil doenças raras diagnosticadas, sendo 80% delas de origem genética. A maioria das enfermidades se manifesta ainda na infância.

Por Pedro Ferreira.