You are currently viewing Por unanimidade, Comissão do Samu aprova relatório final

Por unanimidade, Comissão do Samu aprova relatório final

Membros da CEI do Samu apovam relatório finalDepois de quase 20 meses de apuração, a Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos conseguiu provar a participação de profissionais do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) da cidade que usaram “dedos de silicone” para fraudar o registro de ponto biométrico do órgão de meados de 2011 até março do ano passado e, consequentemente, fazer o desvio de recursos públicos da municipalidade. A aprovação, por unanimidade, do relatório final contendo 21 páginas do referido grupo de investigação (foto) ocorreu na manhã desta segunda-feira, dia 08.

O estudo apontou que o principal pivô do escândalo dos “dedos de silicone”, o então coordenador do Samu, Jorge Luiz Cury, juntamente, com a médica Thauane Nunes Ferreira, flagrada pela Guarda Civil Municipal (GCM) utilizando o artefato para marcar o ponto eletrônico, em 10 de março de 2013, cometeram crimes de peculato, formação de quadrilha, falsificação de documento público e falsidade ideológica. Já em relação ao restante dos médicos implicados, Caio José Losito Mantovani, Rodrigo Gil de Castro Jorge, Felipe de Moraes, Ronnie Munis de Oliveira e Aline Monteiro Cury, eles praticaram os mesmos delitos, exceto o de falsificação de documento público.

Agora, com o resultado da apuração finalizado, o teor do relatório conclusivo deverá ser lido para ciência em plenário na sessão ordinária de hoje (08/12). Com isso, a partir desta terça-feira, o material começará a ser enviado ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) para que faça uma auditoria especial na Secretaria Municipal da Saúde, incluindo o setor de registro de ponto eletrônico e no Departamento de Recursos Humanos (DRH) da administração em geral. Além disso, a comissão mandará cópia a Secretaria Municipal de Assuntos Jurídicos visando acionar a Procuradoria-Geral do município para pedir o ressarcimento de verba pública na justiça.

Ainda, por decisão dos membros da CEI do Samu, devem ser oficializados da presente conclusão dos trabalhos investigatórios o Ministério Público (MP) local, o Ministério da Saúde, em Brasília, o Conselho Regional de Medicina (CRM-SP), assim como, todo o conteúdo será disponibilizado no site do Poder Legislativo para consulta. Para o presidente da comissão, Roberto Antunes de Souza (PMDB), não resta à mínima dúvida dos crimes feitos contra o erário público local pelos sete médicos que trabalhavam no Samu até os primeiros meses de 2013. Ainda, de acordo com ele, a improbidade administrativa está tipificada, porém, cabe ao MP ajuizar cabível ação civil pública.

“Na realidade, houve enriquecimento ilícito por parte desses profissionais que atuavam no Samu da cidade e compete agora aos órgãos competentes fazer valer o seu papel fiscalizador e, por sua vez, o judiciário punir os culpados”, diz Roberto de Souza. O presidente destacou também que muito embora esteja comprovada a materialidade da malversação do dinheiro público, a comissão achou por bem não apontar nenhum valor por compreender que essa não é a sua função primordial e, sim, a do MP e do TCE, entre outros, órgãos de controle externo.

                                                                                        Composição

Além do presidente Roberto de Souza, fizeram parte da comissão, o relator Antonio Carlos Alves Correia (PSD), o Tonho, e os membros Marcos Antonio Castello (SDD), Claudio Ramos Moreira (PT), Walter Marsal Rosa (PROS), o Valtinho do Ipanema e o integrante licenciado, Luiz Tenório de Melo (PR). . Ele aproveita para efetuar um agradecimento especial a todos os membros da comissão por seu empenho e dedicação e aos servidores que prestaram assessoria, no caso o ex-funcionário Renato Hiroshi Kitajima, o seu substituto Krisna Batista Ribeiro, o atual Alan Borges de Melo, o contador Walter Costa e o procurador jurídico, Eber Barrinovo.

Por Pedro Ferreira.