You are currently viewing Por unanimidade, LDO para 2015 passa em 1º turno

Por unanimidade, LDO para 2015 passa em 1º turno

Vereadores aprovam LDO para 2015 em primeira discussãoNa penúltima sessão ordinária antes do recesso parlamentar, em julho próximo, a Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos (foto) aprovou em primeira discussão e, por unanimidade, o projeto de lei que fixa as bases da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do município para o ano que vem, na terça-feira, dia 24. Agora, o texto de autoria do Poder Executivo espera ser votado em segundo turno na próxima segunda-feira, dia 30, a partir das 18h para depois ir a sanção do prefeito, Acir dos Santos (PSDB), o Acir Filló.

Segundo a Secretaria Municipal da Fazenda, em 2015, a administração calcula obter uma arrecadação de R$301,1 milhões, contra R$266,2 milhões este ano. Ainda,  acordo com a pasta, a LDO é, na verdade, uma espécie de ponte do Plano Plurianual (PPA) para os próximos quatros anos e a Lei Orçamentária Anual (LOA) a ser enviada ao Poder Legislativo até 30 de setembro do corrente. Na prática, a matéria considerada um dos principais projetos elaborados todos os anos serve para determinar as metas prioritárias do governo municipal a serem executadas, em 2015.

Além disso, a LDO possibilita, ao mesmo tempo, evidenciar a transparência na gestão pública pelo governo municipal. Em audiência pública, o secretário municipal da Fazenda, Michael Campos Cunha disse que do total estimado, ou seja, dos mais de R$300 milhões, no ano que vem, R$292,2 milhões devem representar as despesas de um modo geral. “Desde já, a Prefeitura Municipal quer arrecadar mais e gastar menos”, diz Michael Cunha. O secretário afirmou ainda que trata-se apenas de uma estimativa e, portanto, os recursos esperados não são, necessariamente, dinheiro em caixa.

Vale destacar que do total de receita previsto para 2015, R$233,8 milhões são frutos de transferências correntes, sobretudo, da União e do governo estadual. Em contrapartida, para o município resta contar com a sua maior receita própria, isto é, com a cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), cuja estimativa é de R$27 milhões. Em relação ao exercício vigente, isto é, somente nos quatro primeiros meses, a administração conseguiu R$7,7 milhões com o tributo, o que significa 9% da previsão.

Por Pedro Ferreira.