You are currently viewing Sem placas em rodovia, visitante sofre para chegar a Ferraz

Sem placas em rodovia, visitante sofre para chegar a Ferraz

Vereador Henrique Marques (PPS)A simples falta de placas indicando o acesso a Ferraz de Vasconcelos na rodovia Ayrton Senna, especialmente, a partir das regiões de São Miguel Paulista, Itaquaquecetuba e de Guararema vem atrapalhando a vida de motoristas em geral e, sobretudo, de empresários e de visitantes que se destinam pela primeira vez ou de maneira esporádica ao município. Para acabar com esse problema, o vereador (foto) Henrique Marques (PPS) está pedindo providências ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER). O pleito em forma de requerimento ocorreu na segunda-feira, dia 12. Além dele, mais 11 parlamentares subscreveram o documento.

Segundo ele, a ausência de placas de sinalização instaladas em trechos estratégicos no corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto e, principalmente, nas proximidades do acesso em Itaquaquecetuba passou a ser alvo de constantes reclamações de usuários novatos com destino a cidade de Ferraz de Vasconcelos. “Em contato com empresários tomei conhecimento que para chegar ao nosso município não é uma tarefa muito fácil, justamente, pela falta de placas indicativas. Por isso, resolvi acionar o departamento estadual competente para sanar essa falha”, diz Henrique Marques.

Na Tribuna, o vereador Willians Santos (PSB), o Willians do Gás, elogiou a iniciativa do colega. Para ele, pode parecer uma medida simplória, porém, possui uma grande importância a colocação de placas sinalizando como acessar a Ferraz de Vasconcelos. “Pessoalmente, o meu carro quebrou na Via Dutra no Estado do Rio de Janeiro e quando solicitei o apoio da seguradora, o motorista do socorro (reboque) não conseguiu chegar a nossa cidade porque errou o acesso, em Itaquaquecetuba, ou seja, foi até a região de Mogi das Cruzes e depois retornou ao destino inicial. Com isso, o veículo foi-me entregue quase dois dias após”, lamenta Willians do Gás.

Inaugurada, em 1982, a rodovia Ayrton Senna interligava, inicialmente, à capital ao município de Guararema. Em 1994, com o nome de Carvalho Pinto e com 70 quilômetros de extensão a estrada passou a ligar o Alto Tietê até Taubaté, no Vale do Paraíba. Hoje, a rodovia é uma das principais vias para a distribuição da produção industrial de mais de duas mil empresas instaladas na região e no Vale do Paraíba. Além de sua importância para a economia, o complexo tem ainda papel turístico no Estado de São Paulo. O corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto faz a ligação com a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), ao litoral norte e a região serrana de Campos do Jordão. Pedagiada, o sistema recebe por dia 150 mil carros nos dois sentidos.

Por Pedro Ferreira.