Comissão concentra investigação na análise de sigilos

Comissão concentra investigação na análise de sigilos

Vereador Roberto de Souza (1º dir) explica andamento da CEI do SamuUm dos principais focos no atual estágio da apuração, a Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos que investiga o escândalo dos dedos de silicone por então servidores do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) concentra agora os seus esforços na análise de dados referentes a quebra dos sigilos bancários e fiscais do ex-coordenador do órgão, Jorge Luiz Cury e da médica Thauane  Nunes Ferreira. Além deles, mais cinco médicos são implicados no caso. O grupo presidido pelo vereador (foto-1º dir) Roberto de Souza (PMDB) reuniu-se para definir um cronograma dos trabalhos na quarta-feira, dia 07.

Para ele, o cruzamento dos sigilos bancários e fiscais da dupla de profissionais envolvida no episódio estourado pela Guarda Civil Municipal (GCM), em 10 de março do ano passado, é de suma importância para comprovar, de fato, se aconteceu alguma evolução patrimonial incompatível com os seus rendimentos, ou seja, senão não houve desvio de recursos públicos em benefício próprio.  “Essas informações autorizadas pela Justiça estão sendo vasculhadas por nossa assessoria técnica para verificar se existem ou não irregularidades cometidas pela dupla de médicos. Queremos apenas encontrar a verdade em todo o processo de investigação”, atesta Roberto de Souza.

Segundo ele, após concluir toda essa etapa da apuração somada ao que já foi averiguado incluindo o depoimento de testemunhas pela comissão desde o início dos trabalhos em março de 2013, o grupo de vereadores partirá para a elaboração do seu relatório final para apontar as responsabilidades e, ao mesmo tempo, recomendar aos órgãos competentes as devidas providências legais. “Em princípio, já é possível citar que os implicados no “escândalo dos dedos de silicone’ podem ser enquadrados nos crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica, peculato quando o agente público apropria-se de dinheiro da municipalidade e malversação do recurso próprio, porém, tudo será sendo objeto de um detalhado estudo”, diz Roberto de Souza.

Na reunião, os membros da CEI do Samu decidiram que vão solicitar cópias dos depoimentos do médico José Cury e de sua filha, a também médica, Aline Monteiro Cury a Delegacia Seccional de Mogi das Cruzes. A medida se faz necessária porque apesar de várias tentativas e mesmo sendo intimados, pai e filha não compareceram para dá a sua versão dos fatos. Essa talvez seja uma das principais frustrações no desenrolar das investigações em curso. Além disso, os integrantes deliberaram pela convocação de novas testemunhas ligadas a Prefeitura Municipal nos próximos dias. Aliás, a próxima reunião da comissão está marcada para ocorrer na terça-feira, dia 13, às 10h. “Vamos esgotar todos os meios possíveis para podermos concluir com total transparência e lisura a nossa apuração”, finaliza Roberto de Souza.

Por Pedro Ferreira.

Compartilhe nas Redes Sociais:
Fechar Menu