You are currently viewing Tonho quer saber sobre radares fixos no município

Tonho quer saber sobre radares fixos no município

Vereador Tonho (PSD) busca informação sobre radares fixosApós 15 dias licenciado por motivo de saúde, o vereador (foto) Antonio Carlos Alves Correia (PSD), o Tonho, reassumiu o cargo na Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos, na terça-feira, dia 22. Na sessão ordinária, fez um requerimento a Prefeitura Municipal questionando o número de radares fixos existentes no município, assim como, os locais onde foram instalados e a última data da aferição dos equipamentos.

Além disso, o vereador quer o fornecimento da cópia da última verificação feita pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e qual o nome da empresa vencedora da licitação para operar os aparelhos. Para Tonho, tratam-se de informações importantes que precisam ser encaminhadas pelo governo da cidade. Afinal, o assunto é de interesse público e, portanto, o cidadão tem todo o direito de conhecer o cotidiano da administração pública em geral.

Com a aprovação do pedido de informação, o Poder Executivo possui um prazo regimental de até 15 dias para enviar os dados ao interessado, contado a partir do recebimento do documento. No caso específico, o requerimento deve ser encaminhado a Prefeitura Municipal nos próximos dias. Com isso, o vereador Tonho já vive a expectativa da resposta ser dada pela administração do município. “O fato é que o prefeito local tem a obrigação legal de fornecer as informações solicitadas”, aposta Tonho.

Na terça-feira, o vereador requereu ainda que a Câmara Municipal seja, devidamente, informada sobre o pregão eletrônico nº 042/PMFV/2013, que resultou na contratação de instituição bancária responsável pelo processamento da folha de pagamento dos mais de três mil servidores públicos municipais. Segundo ele, a recente mudança de banco tem gerado muita reclamação por parte de funcionários que antes mesmo de se acostumarem com o estabelecimento bancário anterior são obrigados a trocar de agência.

Por Pedro Ferreira.