You are currently viewing Fabinho pede vinda da carreta-móvel do Programa Mulheres do Peito

Fabinho pede vinda da carreta-móvel do Programa Mulheres do Peito

Vereador Fabinho (PSDB) quer Programa Mulheres do Peito em FerrazPara contribuir com a prevenção do câncer de mama, em Ferraz de Vasconcelos, o presidente da Câmara Municipal (foto) Luiz Fábio Alves da Silva (PSDB), o Fabinho, está requerendo ao secretário estadual de Saúde, David Everson Uip e a diretora da Diretoria Regional de Saúde (DRS-I), que atende todos os 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), Vãnia Soares de Azevedo Tardelli, o envio da carreta-móvel do Programa Mulheres do Peito. A reivindicação foi feita na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 31.

A medida visa ampliar o acesso de moradoras locais a mamografia financiada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, a estimular o combate ao câncer de mama. Segundo Fabinho, a vinda da carreta-móvel do Programa Mulheres do Peito ao município traria grandes benefícios à população feminina em geral, já que, a doença não atinge apenas a mulher, mas, toda a sua família por causa do sofrimento no período de tratamento. “Como somos uma cidade carente e, portanto, temos uma grande parcela de mulheres de baixa renda esse exame preventivo é ideal”, diz.

Para ele, trata-se de uma ação preventiva urgente em prol de milhares de mulheres que ainda não puderam fazer nenhum exame para descobrir de maneira precoce a presença do câncer de mama e, ao mesmo tempo, se confirmada buscar, imediatamente, o tratamento tendo em vista que existe cura. Em Ferraz, graças a sua influência política, Fabinho conseguiu viabilizar por meio de emendas parlamentares a compra de um mamógrafo para o Centro de Atenção Integral à Mulher (Caim), no Parque São Francisco. Além disso, ele ajudou na aquisição de um raio-x (foto), ambos, em 2010.

Fabinho conquista raio-x para beneficiar a população ferrazenseO câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve no seio como consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama passando a se dividir de forma descontrolada. Em suma, ocorre o crescimento anormal das células mamárias. A doença é a que mais acomete mulheres no planeta surgindo 1,3 milhões de novos casos e provocando a morte de 458 mil por ano, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, o Ministério da Saúde calcula o aparecimento de 52.680 de casos novos anuais. Já a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) garante que de uma a cada 12 mulheres terão tumor nas mamas até os 90 anos.

 Por Pedro Ferreira.