You are currently viewing Onda de assaltos e furtos apavora moradores na Vila Santa Margarida

Onda de assaltos e furtos apavora moradores na Vila Santa Margarida

Vereador Tonho (PSD) denuncia criminalidade na Vila MargaridaA onda de assaltos e furtos praticados nas últimas semanas contra moradores na região da Vila Santa Margarida, em Ferraz de Vasconcelos, ocupou a maior parte das discussões no expediente da sessão ordinária, na segunda-feira, dia 24. Na ocasião, o plenário aprovou, por unanimidade, um requerimento do vereador (foto) Antonio Carlos Alves Correia (PSD), o Tonho, cobrando providências imediatas às autoridades competentes. No documento, o parlamentar pede as polícias Militar e Civil e a Guarda Civil Municipal (GCM) para que intensifiquem o patrulhamento no bairro.

Para Tonho, existem casos de comerciantes que sofrem assaltos duas vezes ao dia. Além disso, a ação desenfreada de marginais atinge também inúmeros trabalhadores, sobretudo, mulheres nas primeiras horas do dia, ou seja, quando estão deslocando-se ao trabalho. O vereador criticou o Poder Executivo por ter fechado no começo do ano passado a base da GCM, na Vila Santa Margarida. Em sua opinião, o fim do funcionamento da unidade, no bairro, acabou contribuindo para aumentar a quantidade de assaltos e furtos naquela região. Afinal, a base tinha um poder inibidor.

Em contrapartida, o vereador Willians Santos (PSB), o Willians do Gás, disse que a desativação da base não pode ser responsabilizada pelo aumento da criminalidade. De acordo com ele, o que precisa ser feito mesmo são as polícias Militar e Civil colocarem mais soldados e agentes nas ruas. Já o presidente da Câmara Municipal, Luiz Fábio Alves da Silva (PSDB), o Fabinho, acredita que a presença da GCM ajuda na sensação de segurança. Segundo ele, o Estado e a União necessitam está mais presentes na área de segurança pública, em geral.

A vereadora Ana Acilda Alves da Silva (PV), a Ana do PV, afirmou que a falta de uma solução efetiva para frear a criminalidade, no município, causa uma sensação de impotência, isto é, o Legislativo não sabe mais a quem apelar. Os vereadores Luiz Tenório de Melo (PR), Edson Elias Khouri (PSB), o Edson Cury, Clenilson Lima Dias (PSDB), o Quequê, Claudio Ramos Moreira (PT), Marcos Antonio Castello (SDD), o Ratinho, Walter Marsal Rosa (PROS), o Valtinho do Ipanema, Maria Simplício Nascimento (PT), Aurélio Costa de Oliveira (PPS), o Aurélio Alegrete e Roberto Antunes de Souza (PMDB) também criticaram a violência na cidade.

                                                                                                       Reunião

Ao final dos debates, todos chegaram à conclusão que precisa mobilizar deputados estaduais para, por sua vez, exigirem uma ação firme do Palácio dos Bandeirantes. Por conta disso, nos próximos dias, cada vereador promete ligar para o deputado estadual de sua preferência para pedir a intervenção dele em prol da segurança pública no município. Além disso, o vereador Roberto de Souza sugeriu que a Câmara Municipal faça uma reunião para discutir o assunto com o comandante da 3ª Cia., capitão Luiz Carlos Rodrigues, o delegado titular, Wagner Lombisani e a secretária municipal da Segurança Pública, Elisabete Soliman.

Por Pedro Ferreira.