You are currently viewing Afixação dos nomes de médicos por postos passa a depender do Poder Executivo

Afixação dos nomes de médicos por postos passa a depender do Poder Executivo

Para Ana do PV, projeto vai identificar bons médicosAprovado em segundo turno pela Câmara Municipal, na segunda-feira, dia 18, o projeto de lei que determina as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Ferraz de Vasconcelos a fazerem afixação em local de fácil visualização o nome completo do médico, a sua especialidade, o dia e o horário atendimento segue nos próximos dias para sanção do prefeito. O texto da vereadora  (foto) Ana Acilda Alves da Silva (PV), a Ana do PV abrange ainda o Pronto Atendimento Infantil (PAI) e o Centro de Atenção à Saúde da Mulher (Caim), ambos no Parque São Francisco.

Depois assinado por Acir dos Santos (PSDB), o Acir Filló, o Poder Executivo terá um prazo de 60 dias para providenciar a regulamentação da presente lei, em especial em relação aos aspectos procedimentais e de formalização. A matéria visa melhorar a qualidade dos serviços prestados por médicos no município. Para Ana do PV, o seu projeto visa contribuir para aumentar a transparência no serviço público local. Além disso, ela acredita que a medida servirá também para valorizar os bons profissionais que atuam na rede municipal de saúde.

“No fundo, a nossa proposta deverá colaborar para democratizar ainda mais o acesso à informação que é um direito de todo o cidadão, além de contribuir com a transparência e a fiscalização em geral”, define a vereadora Ana do PV. A iniciativa inédita e moralizante no município foi elogiada pelos colegas Luiz Tenório de Melo (PR), Willians Santos (PSB), o Willians do Gás, Luiz Fábio Alves da Silva (PSDB), o Fabinho, Claudio Ramos Moreira (PT), Roberto Antunes de Souza (PMDB), Aurélio Costa de Oliveira (PPS), o Aurélio Alegrete e Maria Simplício Nascimento (PT).

Para o vereador Walter Marsal Rosa (PROS), o Valtinho do Ipanema, quando colocada em prática à divulgação pública dos nomes de médicos, da sua especialidade e do seu horário de atendimento poderá também evitar possíveis constrangimentos na rede básica de saúde. A falta de informação a respeito do nome do profissional e, sobretudo, do seu dia e horário de atendimento em postos de saúde é uma reclamação constante de munícipes e dos próprios médicos. Ato semelhante já funciona na capital paulista, em Fortaleza (CE), em Manaus (AM) e em Bento Gonçalves (RS), entre outras, localidades.

Por Pedro Ferreira.