You are currently viewing Profissionais de educação cobram transparência na aplicação do Fundeb

Profissionais de educação cobram transparência na aplicação do Fundeb

Profissionais da Educação criticam postura da Prefeitura MunicipalProfissionais da educação de Ferraz de Vasconcelos protestaram (foto) contra a falta de clareza na aplicação de recursos do Fundo de Manutenção Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), o não pagamento de um bônus e a indefinição a respeito da atribuição de aulas, entre outras, reivindicações durante a sessão ordinária, na segunda-feira, dia 11. Pressionado, o presidente da Câmara Municipal, Luiz Fábio Alves da Silva (PSDB), o Fabinho, suspendeu os trabalhos para receber uma comissão formada por cinco servidores da educação.

Por mais de 1h, democraticamente, os vereadores ouviram os representantes da categoria que acusaram ainda alguns diretores de escola de praticar assédio moral. Segundo eles, esse tipo de coação vem sendo feito de forma explícita e velada. Os profissionais querem também a formação continuada, o reconhecimento de pontuação, mais tempo para fazer a preparação de aulas e a equiparação salarial de auxiliar de creche. Hoje, um auxiliar de creche recebe cerca de R$900,00 mensais quando o correto seria um pouco mais de R$1,6 mil. Além disso, os profissionais exigem a quitação de vencimentos e o fornecimento de vales-transportes atrasados desde à época da ex-gestão.

Para eles, o atual governo tem dialogado com a categoria, no entanto, apesar de ter prometido atender parte das reivindicações acabou não honrando. A comissão composta por Arnaldo Alves, Tatiane Romano, Flávia Medeiros, Ivan de Almeida e Edilene Corrêa afirmou, que, na realidade, a Prefeitura Municipal vem tratando o segmento de maneira desrespeitosa. Os representantes também denunciaram as péssimas condições físicas de algumas escolas, entre eles, a Rui Coelho, no Jardim São Giovani. “Os banheiros e os bebedouros, por exemplo, estão inadequados”, dizem.

DSC_0051Em resposta, Fabinho (foto-centro) disse que o Legislativo vai reforçar as reivindicações junto ao Poder Executivo. De acordo com ele, a Casa entende como justos os pleitos dos profissionais de educação. Ele recomendou inclusive a Comissão Permanente de Saúde, Educação, Cultura, Lazer e Turismo (CPSECLT) que marque uma audiência pública com a secretária municipal da Educação, Denize Ribeiro para discutir os assuntos. Já o vereador Roberto Antunes de Souza (PMDB) garantiu que vai iniciar visitas periódicas as unidades de ensino locais nos próximos dias.

Por Pedro Ferreira.