You are currently viewing Projeto prevê regulamentação para a soltura de balão ecológico

Projeto prevê regulamentação para a soltura de balão ecológico

Comerciante Zinho Pipas quer a regulamentação para a soltura de balão ecológicoDepois de Poá, Ferraz de Vasconcelos está prestes a regulamentar à autorização, a confecção, o transporte e a soltura de balões ecológicos e sem fogo. Um projeto de lei nesse sentido foi apresentado pelos vereadores, Antonio Carlos Alves Correia (PSD), o Tonho Luiz Tenório de Melo (PR), na segunda-feira, dia 21. O texto também é assinado pelo restante dos parlamentares. O adepto do balonismo no município, o comerciante (foto) Waldemar de Assis Furriel Slechticius, o popular Zinho Pipas, é o principal colaborador da proposta.

Segundo ele, existe na cidade, hoje, mais de 200 pessoas que praticam o balonismo. Por isso, Zinho Pipas acredita ser muito importante regulamentar essa atividade esportiva, no município. Ainda, de acordo com ele, o balão ecológico e sem fogo é um equipamento inflado com o ar quente oriundo da queima de gás de cozinha por pequenos maçaricos. Com isso, o papel do balão absorve a luz solar esquentando o produto. O interessante é que esse tipo de balão não representa nenhum risco de acidente por ser, totalmente, biodegradável.

Com o calor do papel aquece o ar interno do balão que fica mais leve que o externo, ou seja, o balão sobe. Zinho Pipas destaca também que quanto mais escuro for o papel, mais forte o artefato fica. Agora, o balonista espera o apoio de todos os vereadores para aprovar o projeto, mas, ele aproveita para agradecer, principalmente, aos vereadores Tonho e Luiz Tenório por liderarem a iniciativa. A regulamentação da confecção, transporte e soltura de balão ecológico e sem fogo vem sendo defendida pela Associação Brasileira de Baloeiros Ecológicos (ABB), de São Paulo.

“Queremos praticar o nosso esporte aéreo sem corrermos o risco de ser abordado pelas autoridades policiais competentes”, diz Zinho Pipas.  No Brasil, soltar balão é considerado um crime ambiental previsto no artigo 42 da Lei Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. A norma prevê uma pena de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. Para Zinho Pipas, a soltura de balão existe no planeta há mais de 300 anos, no entanto, o Brasil é o único País a proibir a prática, o que ele, lamenta. Em compensação, o uso do balão ecológico e sem fogo não aplica-se a presente vedação em vigor.

                                                   Prudência

Vereador Tonho pede prorrogação de comissão de assuntos relevantesNo momento, o projeto sobre o assunto encontra-se tramitando nas comissões competentes e na Procuradoria Jurídica da Casa. Além disso, o vereador (foto) Tonho pretende fazer ainda uma audiência pública para aprofundar ainda mais a discussão do tema, em breve. Neste caso, a votação da matéria na hipótese de receber o parecer favorável pela sua legalidade não possui data para acontecer. “Assim, como ocorreu, em Poá, estamos procurando tirar todas às dúvidas a cerca da proposta para, de fato, possibilitarmos a sua regulamentação no município”, garante o vereador Tonho.