You are currently viewing Fabinho quer à contratação de guardas civis para fiscalizarem as divisas

Fabinho quer à contratação de guardas civis para fiscalizarem as divisas

Vereador Fabinho quer pelotão de guardas fiscalizando as divisasIndignado com alguns munícipes que insistem em jogar entulho, sobretudo, em vias públicas próximas as entradas da cidade, o presidente da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos, vereador (foto) Luiz Fábio Alves da Silva (PSDB), o Fabinho, quer que a Prefeitura Municipal promova um concurso público para à contratação de pelo menos 30 guardas civis para combaterem a ação de vândalos nesses pontos estratégicos. Para ele, o povo ordeiro não suporta mais tanto descaso contra o patrimônio público.

Em discurso na Tribuna, na sessão ordinária, na terça-feira, dia 15, Fabinho disse que a sujeira que toma conta das principais vias de acesso à cidade acaba envergonhando as pessoas, principalmente, tratando-se de visitantes. Segundo ele, a limpeza do município de um modo geral precisa ser uma atitude permanente do governo municipal, já que, lamentavelmente, certos moradores procuram depositar lixo em qualquer lugar.

Na prática, o presidente da Câmara Municipal avalia que falta a devida conscientização por parte da população. Além disso, Fabinho adianta que o poder público, por sua vez, tem de dar o exemplo, ou seja, cuidar, corretamente, do seu patrimônio. Por isso, ele acredita que a saída para, no mínimo, atenuar esse comportamento deplorável de alguns habitantes seria a Prefeitura da cidade aumentar a fiscalização nas fronteiras do município por meio de guardas civis municipais e, ao mesmo tempo, promover a preservação do patrimônio público em geral.

“O governo atual pode estar errando ao afrouxar a fiscalização, assim como, administrações anteriores falharam. Afinal, uma cidade bem cuidada depende da ação de todos e não como vem acontecendo no momento. No fundo, hoje, o Poder Executivo tenta fazer o seu papel, mas, pelo visto não está conseguindo, no tocante, a limpeza pública”, comenta Fabinho. O presidente afirmou ainda que inclusive não descarta a realização de audiências públicas para tratar sobre o assunto, em breve.