You are currently viewing Claudio Ramos requer informação sobre o reajuste na tarifa de ônibus

Claudio Ramos requer informação sobre o reajuste na tarifa de ônibus

Vereador Claudio Ramos (PT)O aumento na tarifa de ônibus de R$2,80 para R$3,30, em Ferraz de Vasconcelos ainda não digerido pela população e muito menos pelo vereador (foto) Claudio Ramos Moreira (PT). Por isso, na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 13, o petista apresentou e o plenário da Câmara Municipal aprovou, por unanimidade, um requerimento pedindo informação a Prefeitura Municipal sobre a política de reajuste da passagem no transporte coletivo local.

O vereador quer saber ainda em relação como aconteceu a licitação para a construção da empresa concessionária Radial Transportes, o envio de contratos celebrados e de planilhas de custo que possa ter justificado o valor da tarifa cobrada de passageiros, no momento. Para Claudio Ramos, esses dados são, extremamente, importantes para tirar as dúvidas de um modo geral a respeito da polêmica decisão adotada no último dia 05 do corrente quando entrou em vigor o aumento da passagem.

O requerimento também é assinado pela vereadora Maria Simplício Nascimento (PT), a Maria Simplício. Na segunda-feira, Claudio Ramos pediu também informação, no tocante, a construção de uma praça de lazer entre as Ruas Francisco Fernandes, Rosa Teixeira Bueno e Domingos Fregonesi, no Parque São Francisco. Na prática, ele solicita o nome da empresa contratada para fazer a limpeza da área, o valor do custo da obra e o modelo de licitação.

Claudio Ramos cobrou explicação ao Poder Executivo concernente à situação do antigo prédio onde funcionou o abrigo Porta do Céu, no Jardim São Giovanni, recentemente, demolido pelo governo municipal. No fundo, o vereador quer tomar conhecimento de quem é o dono do imóvel, se houve desapropriação do mesmo, qual o valor pago e a empresa contratada para executar os trabalhos. “Ali existia um prédio histórico que a administração passada anunciou a construção de um equipamento, porém, até agora não saiu nada do papel”, questiona.