You are currently viewing Claudio Ramos quer ação contra resultado pífio de escolas municipais no Ideb

Claudio Ramos quer ação contra resultado pífio de escolas municipais no Ideb

Vereador Claudio Ramos critica baixo desempenho de escolas no IdebComo Ferraz de Vasconcelos apresentou, em 2011, um Índice de Desenvolvimento Educacional (Ideb) que mede a qualidade do ensino fundamental em escolas municipais, o vereador (foto) Claudio Ramos Moreira (PT) requereu informações a Prefeitura Municipal para saber o que está sendo feito para reverter esse quadro preocupante. O pedido ocorreu na sessão ordinária, no dia 15. Com isso, o Poder Executivo tem um prazo de 15 dias para responder ao questionamento.

No caso do Município de 22 escolas municipais apenas uma escola atingiu o nível de excelência, isto é, recebeu nota dez, três ficaram em alerta, dez classificaram-se com o patamar de atenção e somente sete mantiveram suas metas. “Por isso, acredito que podemos mudar esse quadro adotando o mapeamento das escolas que estão com rendimento baixo e, ao mesmo tempo, proporcionar assessorias. Enfim, dá apoio psicológico e pedagógico”, garante Claudio Ramos.

Para o petista, a administração da cidade precisa priorizar a educação enquanto política pública, já que, a ausência dessa proposta pode contribuir para aumentar ainda a criminalidade entre os jovens. “Afinal, de nada adianta nossas crianças irem à escola pública ou particular se elas não compreenderem os conteúdos ensinados”, aponta Claudio Ramos. Em contrapartida, ele acha que essa possível incompreensão por parte de estudantes pode ser fruto de problemas familiares, entre outros, motivos.

Na opinião dele, se a administração, de fato, não se atentou para esse gravíssimo problema que inflige às escolas municipais de ensino fundamental, em geral, a situação tende a piorar ainda mais com o passar dos anos. Em defesa do Poder Executivo, o presidente da Câmara Municipal, vereador Luiz Fábio Alves da Silva (PSDB), afirmou que o resultado desfavorável a Ferraz referente ao Ideb, em 2011, é de responsabilidade do governo anterior e, seguramente, o atual não mede esforços para alcançar índices de excelência.