Autoridades discutem o trabalho da Secretaria da Cultura

A atuação da Secretaria Municipal da Cultura cujo orçamento vigente é de R$1,9 milhão foi discutida durante reunião (foto) entre o titular da pasta, Élio Tonalezi, um grupo de vereadores e ativistas locais nesta quinta-feira, dia 14, na Câmara Municipal, no centro. Além do secretário também participou da audiência, a secretária da Fazenda, Silvana Francinete da Silva. A presença dos dois representantes do primeiro escalão do Poder Executivo atendeu a um requerimento aprovado no final do ano passado.

Além da dupla, o documento de autoria previa ainda a ida obrigatória dos secretários municipais de Obras, Planejamento Urbano, Saneamento, Verde, Meio Ambiente e Habitação, Antônio Carlos dos Santos Ferreira, o Carlinhos, o de Assuntos Jurídicos, Bruno Daniel da Silva de Oliveira e de Governo, Lucas Pimenta, no entanto, os três não puderam comparecer por motivo superior. Nesse último caso, o titular foi representado pela colega Silvana Silva.

Na prestação de contas, os presentes abordaram as despesas relacionadas ao pagamento do aluguel do prédio onde, hoje, funciona a sede da Secretaria da Cultura na Avenida Brasil, 966, no centro, os gastos com a folha de pagamento de servidores do órgão e com a contratação de oficineiros, ou seja, de profissionais de diversas áreas, entre elas, a de dança. No momento, cada orientador recebe por mês R$1,4 mil, todavia, até pouco tempo, esse valor era de R$1,2 mil. No tocante, ao aluguel do imóvel, a municipalidade paga mensalmente R$8.165,90.

Em todo caso, na audiência, ficou evidenciado que apesar da dedicação do secretário, Élio Tonalezi e de sua equipe de colaboradores, a pasta carece de estrutura física e de pessoal técnico para promover as atividades culturais, na cidade. Afinal de contas, na atualidade, o órgão dispõe apenas de oito servidores incluindo efetivos e comissionados e dez oficineiros. A saída, para tentar equacionar essas deficiências da Secretaria da Cultura e da administração em geral encontra-se em fase de estudos, já que, o Poder Executivo pretende fazer uma reforma administrativa, em breve.

Além disso, Élio Tonalezi (foto) se comprometeu a retomar o trabalho do Conselho Municipal da Cultura, aliás, uma reivindicação da categoria que chegou a funcionar apenas por um durante uma das gestões do então prefeito, Jorge Abissamra (PSB), o Dr. Jorge. Neste caso, a nomeação do colegiado dependerá somente de um ato administrativo do prefeito, José Carlos Fernandes Chacon (PRB), o Zé Biruta. Por fim, o ponto central do debate, isto é, o consenso geral dos participantes é que a cidade necessita elaborar o seu plano municipal de cultura.

Por isso, no encontro, ficou acertada a realização de uma nova reunião, possivelmente, na semana que vem para começar a traçar as ações imediatas para o setor. Para Renatinho Se Ligue, o setor não pode continuar sendo feito de maneira improvisada. Ele considerou a audiência positiva. Além dele, também esteve presente, o presidente da Casa, Agílio Nicolas Ribeiro David (PSB), Roseli Aparecida Messias Ferreira (PRB), a Rose Fitness, Eliel de Souza (PR), Clovis Ottoni Sousa (PSD), o Clovis Eletricista, Antonio Marcos Atanazio (MDB), Claudio Roberto Squizato (PSB) e os responsáveis pelo Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), soldados Alexandra e Sandro. A Câmara Municipal agradece a presença de todos.

Por Pedro Ferreira, em 14/03/2019.

Veja Também

Marcos BR e Renatinho querem a anistia de juros e multas

Assim como aconteceu até a metade de março do ano passado, a Prefeitura de Ferraz …